Buscar

A importância de imagens tridimensionais para a realização de um projeto de interiores

Todas as imagens deste post são da nossa autoria e são imagens tridimensionais.


A importância de imagens tridimensionais para a realização de um projeto de interiores

Hoje em dia, os programas de produção de renders são uma ferramenta muito importante num processo de arquitetura. A possibilidade de podermos mostrar ao cliente como vão ficar os espaços para os quais ele contratou os nossos serviços e o facto de conseguir ter uma ideia muito aproximada da ideia final, é uma revolução que trouxe muito de positivo, quer para o cliente como para os arquitetos.


Nem todos os clientes conseguem imaginar como vai ficar uma sala ou um quarto ou um wc... não é suposto saberem. Não foi para isso que estudaram. Mas os materiais renderizados podem ser extremamente ricos em detalhes e tão reais que podem até confundir quem não é da área. Com o passar dos anos, este serviço é cada vez mais solicitado pelo cliente ou sugerido pelo profissional. Da mesma forma que é para o cliente uma excelente forma de saber o que está a "comprar" também é para o arquiteto uma boa maneira de "vender" o seu trabalho. Quando o cliente tem dificuldade em visualizar os conceitos apresentados, mesmo tendo fotos, mood boards, imagens de inspiração, desenhos técnicos, etc. pode ser complicado entender como vamos aplicar essas ideias naquele espaço específico. Então nada melhor do que apresentar uma "fotografia" do produto final. É um recurso muito importante que permite inclusive fazer alterações ao projeto antes da sua execução, ajudando a economizar tempo e recursos.


Além disso, o realismo com que estas imagens são realizadas tornou-se uma parte bastante interessante deste serviço e valoriza ainda mais o nosso trabalho. Quanto mais real, mais bonito e melhor a compreensão da remodelação do espaço em todas as suas vertentes, por exemplo, a iluminação, a conjugação das cores e das texturas, materiais, etc. Tudo isto ganha ainda mais importância quando se trata de um projeto de vida, como a compra de um espaço para um restaurante, ou uma moradia, principalmente quando se trata de modificações estruturais, ou o reposicionamento de uma janela para alterar um reflexo indesejado de um elemento presente no exterior que altera por completo o interior.


Por outro lado, a concorrência criou programas de fácil manuseio, para pessoas que não pretendem contratar este serviço. No entanto, a baixa qualidade dessas imagens pode pôr em causa um conceito que se está a trabalhar, visto que pode influenciar as cores, as texturas e não transmitir a realidade e veracidade dos materiais e a sua conjugação.


Compreender a dificuldade de um render: para executarmos um render, é necessário primeiro elaborar um conceito. Este conceito não está descrito em livros, nem nunca foi criado antes de olharmos pela primeira vez para uma planta ou para o espaço em questão. Este conceito vem a 100% da nossa criatividade e em exclusivo para aquele espaço. Este pode ser o resultado de um "frame" que vimos num filme, uma parte de uma letra de uma música, pode vir das cores de um prato que provamos num restaurante, uma frase que lemos num livro, de uma imagem que vemos no pinterest (ou várias imagens), mas muito provavelmente vem da conjugação de todas estas experiências. A criatividade vem de uma mistura do que experenciamos, do que vemos, tocamos e sentimos. E para essa criatividade se tornar num conceito real, é preciso estudo, concentração e foco para deixar de ser um conjunto de ideias e passar a ser uma ideia concreta, bem estruturada, e se transformar num conceito único e feito à medida de cada cliente.



Este processo pode demorar uma semana ou várias. Tudo depende do grau de criatividade num determinado momento. E nem sempre o arquiteto está criativo ou focado. É importante o cliente entender que quando pede uma ideia ao arquiteto, o mesmo pode não conseguir elaborar (no espaço de segundos ou minutos) uma ideia brilhante que marcará o projeto. E mesmo que consiga, pode não ser a melhor ideia ou solução para aquele espaço. O ideal será primeiro ter as ideias, estudá-las e conjugá-las para ter um conceito consistente.


Depois de termos este conceito forte, passamos à ação e passamos da utopia ao concreto, para o "papel". Aplicar o conceito ao espaço em específico é a parte mais difícil de elaborar um projeto. Requer a conjugação de múltiplos fatores, de todas as vertentes de um projeto para aplicar no seu espaço em concreto e fazer com que funcione. É uma etapa que pode demorar 4 a 5 dias por espaço.


Quando achamos que está tudo perfeito, elaboramos as imagens tridimensionais para mostrar ao cliente. Para isso, o conceito tem de estar finalizado. É nesta fase que começamos a "construir paredes", a colocar luzes, cores, materiais e começamos a dar forma a tudo. Só aqui é que o cliente poderá começar a ter uma noção real do que estamos a criar. Esta fase pode demorar cerca de 5 dias por espaço, sendo que cada "fotografia" pode ocupar o computador (sem que seja possível ir adiantando outros espaços) por 1 dia inteiro. Depois vêm as alterações. Alterações que podem ser requeridas pelo próprio projeto (por alguma coisa não estar a funcionar) ou pelo cliente (por não concordar com algum artigo ou por preferência de outro ou até por questões de orçamento). Então o processo recomeça do zero.


As imagens tridimentsionais são também uma excelente forma de programar planos de trabalho e elaborar orçamentos e a eliminar possíveis surpresas indesejáveis durante uma obra.

Por isso, se acha que não consegue visualizar, deixe isso connosco!





Horário de funcionamento

Segunda a Sexta

10h00 - 18h00